Negócio em potencial

Na contramão do mercado, muitas pessoas estão investindo na compra de imóveis usados – e lucrando com isso

Os imóveis usados estão em alta mesmo com o boom da construção civil. Entre os fatores que levam a essa tomada de decisão está o tamanho das construções antigas, que costumam ser consideravelmente maiores que as novas, e o conhecimento prévio do produto, já que o cliente pode visitar o local antes de fazer negócio. É com base nesse perfil que muitas pessoas passaram a adquirir esse tipo de imóvel pensando em uma futura venda ou aluguel.

Fabiano Taylor, vice presidente da Rede Imvista

Segundo o vice-presidente e diretor comercial da Rede Imvista, Fabiano Taylor, não há como diferenciar o público que compra imóveis usados do público que compra imóveis novos. O que se sabe é que aqueles que compram imóveis usados têm necessidade de moradia imediata. “Podem ser casais que estão pensando em se casar, pessoas que já têm um imóvel próprio e querem trocar, ou mesmo alguém que queira investir”. O uso imediato do imóvel também é um fator que soma pontos. “Assim que a pessoa compra, ela já pode usufruir do produto. Isso não acontece com os apartamentos novos, já que 90% deles são vendidos ainda na planta”, afirma Fabiano Taylor.

Como a procura não é exagerada, a quantidade de imóveis usados disponíveis na cidade ainda é suficiente para atender a demanda. O vice-presidente da Rede Imvista recomenda a aquisição. “É vantajoso, pois a pessoa paga por um produto que teve a oportunidade de ver, avaliar e experimentar. Ela não está comprando uma promessa, mas sim uma realidade”, alega.

 Decorar para valorizar

Uma boa estratégia para valorizar o imóvel é investir na decoração. Segundo a decoradora on-line do Shopping Minascasa, Fernanda Berni, apartamento e casas decoradas aumentam o valor do imóvel. “Tudo vai depender dos recursos financeiros do proprietário, do tempo para reforma e do perfil do cliente, mas é possível fazer um trabalho muito legal com um imóvel usado para deixá-lo com cara de novo”, afirma.

Algumas soluções, além de práticas, trazem certo charme ao ambiente. O proprietário pode aproveitar alguns elementos, como vidros antigos e paredes. O piso de taco de peroba, por exemplo, é antigo, mas muito charmoso. Essas e outras ações sustentáveis enriquecem a reforma. “Não podemos nos esquecer de ter ações sustentáveis. Muitos profissionais querem quebrar tudo e colocar coisas novas, mas às vezes isso não é preciso”, afirma a decoradora, que lembra que materiais como madeira e mármore podem ficar novos com um pouco de manutenção.

Para se decorar um apartamento usado, o proprietário deve ter um bom planejamento. “A pessoa tem que definir qual uso ela vai fazer daquele imóvel e buscar a ajuda de um profissional que vai pensar não só no design, mas também nas questões técnicas, como tempo de espera para entrega de materiais e finalização da obra”. Fernanda explica que a reforma de um imóvel usado pede mais cuidados, pois o proprietário não sabe onde passam os canos ou onde estão os pilares.

A pessoa que compra um imóvel para futuro aluguel deve pensar em soluções práticas. “A ideia é evitar móveis muito elaborados, que não podem ser levados para outros lugares. Investir em um design mais limpo, com cores neutras. Peças de linhas retas, com poucos detalhes, também garantem uma maior aceitação”, aconselha a decoradora.

Cuidados na compra

A principal dúvida entre as duas opções diz respeito ao preço e às facilidades de pagamento. Os imóveis em planta, por exemplo, costumam ser mais baratos. E quanto mais longe for a data de entrega, menos oneroso ele fica. Em compensação, quando o imóvel está pronto e novo, ele costuma ser mais caro que o usado.

Mas o preço não deve ser a única preocupação do cliente. Uma desvantagem em adquirir imóveis usados é a falta de informação sobre o estado em que se encontram certos aspectos do produto adquirido, como parte elétrica e conservação dos materiais.

Quem adquire imóveis usados também deve estar atento a certos pontos. “Eu aconselho sempre a fazer negócio com profissionais credenciados que trabalham em empresas bem conceituadas”, opina Fabiano Taylor. Ele sugere também que o cliente consulte as certidões, tanto dos vendedores quanto dos imóveis. “Mesmo se o imóvel estiver liberado juridicamente pode existir uma pendência e a venda pode ser cancelada”, exemplifica.

Publicado em Sem categoria

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *