Procura por imóvel de aluguel é alta entre jovens da classe média

Donos de imobiliárias apontam o mercado de locação como aquecido, mas as ofertas ainda são escassas

Heloísa Helena - Diretora da Geraldo Magella

Mudança de escola e de trabalho são duas das principais razões que motivam os jovens das cidades do interior de Minas e de outros estados a se mudaram para Belo Horizonte. Nos últimos cinco anos, a diretora da Geraldo Magella Imóveis, Heloísa Helena de Oliveira Melo, tem observado uma crescente procura de imóveis por esse público jovem de classe média. A maioria dos novos contratos ocorre nos meses de dezembro, janeiro, fevereiro, julho e agosto, com o início das férias e também do ano letivo. O dono do Salão Imobiliário, Tarcísio Sanglard, afirma que apesar da procura ser maior nesses meses, a demanda por alugueis na grande BH é constante durante todo o ano pelas mesmas razões: pessoas que querem ou precisam se mudar para perto do local de trabalho e estudo.

Tarcísio Sanglard - Diretor da Salão Imobiliário

De acordo com Heloísa, o mercado de locação de imóveis está bem aquecido. Apesar de ainda existirem poucas ofertas para uma demanda crescente, esse segmento traz boas expectativas devido à ascensão da nova classe C. Novos prédios estão sendo construídos na mira de investidores e os valores de alugueis estão enxutos. “Pessoas que moravam em bairros periféricos estão se deslocando para regiões mais próximas. O valor do aluguel ficou um pouco mais justo, pois, durante um bom tempo, ele estava alto e agora chegou a um ponto de equilíbrio. Quando o preço dispara temos dificuldade de alugar”, explica Heloísa. Segundo a empresária, de um ano pra cá o aluguel teve reajuste médio de 50% e a expectativa é que fique até 30% mais caro no ano que vem. Já para Tarcísio, o aumento do aluguel para 2012 ainda é uma incógnita. “Vamos ver como o mercado vai se adaptar. Ele melhorou muito com relação ao ano passado, a procura hoje é maior”.

Apartamento em área segura, de preferência, nos bairros limítrofes ao centro de Belo Horizonte, condomínio barato e vaga na garagem são algumas das exigências na hora do jovem escolher o imóvel. “Normalmente a grande maioria pede três quartos, e eles não fazem questão que os prédios tenham lazer. A procura maior é no entorno do hipercentro, que é sempre referência, em bairros como Floresta, Caiçara, Carlos Prates e Santa Efigênia”, explica Heloísa. O bairro Coração Eucarístico também está nessa lista. O aluguel de um imóvel desse perfil custaem média R$1.200 e, na hora de negociar, quem está à frente dos jovens são os pais. “Vem a mãe, o pai e olham tudo e definem a escolha para os estudantes. Só vamos conhecer quem vai morar depois do processo encerrado”, conta.

Na hora da negociação, a desconfiança é “via de mão dupla”. A famosa lenda de que mineiro é desconfiado na hora de fazer um investimento é comprovada com a experiência da diretora da imobiliária. “O mineiro sempre procura um ponto em comum, alguma referência que dê um pouco mais de tranquilidade para ele”, completa a diretora. Antes de formalizar o aluguel, a ficha do futuro cliente deve ser aprovada pela imobiliária. Alguns critérios para a aceitação são a renda, o empregador e a segurança do cliente para com a empresa. Heloisa conta que um dos problemas enfrentados pelas imobiliárias é a deficiência de boas fichas para aprovação.

Geralmente as pessoas que trabalham nesse segmento desenvolvem um felling para detectar aqueles clientes potenciais e os problemáticos. “Só de atender a pessoa você consegue formar um juízo a respeito do comportamento. Como os paulistas, por exemplo, eu nunca tive problema, eles são ótimos clientes. Neste ano, nos chamou atenção a grande procura de jovens do Paraná e de São Paulo”, detalha Heloísa.

Divulgação de ofertas

A internet tem sido um meio bastante eficaz para a divulgação de ofertas, aponta Heloísa. “Eu não faço anúncio em mídia escrita, só uso a internet, pois temos um retorno maior. Pessoas de fora procuram muito pelo Google, onde estamos posicionados”.

Na hora de alugar ou comprar um imóvel, o cliente está interessado em coletar todas as informações possíveis e procurar por fotos, dois itens que já podem eliminar opções para a escolha. “Todo mundo consulta antes pela internet e já chega com todas as informações, como a metragem, valor do condomínio, então o cliente de outra cidade pode saber a proximidade do imóvel em relação à escola do filho e/ou do trabalho”, destaca Heloísa.

Publicado em Sem categoria

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *