Dicas Rede Imvista – Pneu pode ser usado com eficiência na construção.

Divulgação Aubicon

Borracha beneficiada e transformada em piso ecológico e manta acústica se apresenta como alternativa para a absorção de impacto, além de reduzir ruídos nos prédios.

Um pneu automotivo tem vida útil de cinco anos. No meio ambiente, demora 600 anos para se decompor. A reciclagem evita a poluição, ajuda em questões de saúde pública, como na reprodução do mosquito da dengue, e ainda pode representar uma oportunidade de negócios. Descoberto pelo setor da construção civil, o material vem sendo cada vez mais usado em variadas situações, desde pisos drenantes a manta acústica.

Uma novidade é o piso ecológico Play 50, desenvolvido pela Aubicon, uma empresa de Extrema, no Sul de Minas. Com 50 milímetros de espessura e um metro quadrado, a produção de cada unidade tira seis pneus do meio ambiente. O piso oferece redução de impacto para tombos de até 1,2m e é muito usado em playgrounds, haras e pistas de caminhada. O teste crítico de altura tem aprovação de acordo com as normas europeias. Por ser drenante, permite a passagem de água pelo próprio piso e entre as placas e ainda tem propriedades antiderrapantes.

Segundo Cássia Bretones, gerente comercial da empresa, uma criança que tiver uma queda de 1,2m de altura não sofrerá danos se o piso for Play 50. Já no haras, o uso visa evitar danos nas articulações dos animais, já que diminui o impacto no treinamento de equinos. Na Europa, é usado também para a otimização da criação de gado leiteiro. “Descobriu-se que o animal produzia mais leite se, ao ficar em pé e parado na ordenha, tivesse um piso confortável”, revela a gerente. A empresa já conta com muitas construtoras e arquitetos como cliente, principalmente para uso em playgrounds e academias de condomínios.

O processo de fabricação da placa leva 24 horas. Os grânulos de borracha recebem pigmentação e são batidos, indo, em seguida, para a forma, quando recebem um produto químico aglomerante e são prensados em alta temperatura. “Mas não há vulcanização, que é um processo que polui. Queremos um produto ecológico”, afirma Cássia. Até o fim do ano, a empresa pretende alcançar a marca de 1 milhão de pneus reciclados.

MANUTENÇÃO

Isso só será possível porque a empresa usa a borracha de pneu em todos os seus produtos. O Play 25, existente há mais tempo, tem uso semelhante ao do Play 50, mas com espessura de 25 milímetros. Tem, portanto, menor capacidade de absorção de impacto e aplicação diferente, precisando ser colado no piso. O Duplo T é um piso intertravado, mais indicado para áreas arredondadas. A manutenção é outro ponto positivo, já que, para limpar, basta usar vassoura de cerdas médias, água e sabão. Pode ser utilizado jato de água movido a pressão, desde que seja com pressão moderada. Não se deve aplicar nenhum produto químico, que poderia descolorir o produto.

A Aubicon fabrica ainda mantas acústicas ecológicas. O produto deve ser aplicado na construção de edifícios, entre as lajes. Serve para evitar ruídos entre apartamentos. “O avanço da construção civil permite a montagem de lajes mais esbeltas e econômicas, porém mais sensíveis a ruídos de impacto. Nossas mantas acústicas são uma solução muito versátil para esse problema”, garante Cássia. Com a instalação da manta entre a laje e o contrapiso, cria-se um piso flutuante de sistema vibratório com amortecimento.

Segurança reconhecida

Áreas externas e de grande circulação podem receber o produto, que não se deforma com a colocação de peso sobre ele.

Cássia Bretones - Gerente da Aubicon

O Play 50 é aprovado pelo Green Building Council, que atesta não só o produto como o processo de fabricação limpo. O reconhecimento se une ao preço como atrativo. Enquanto o metro quadrado custa R$ 127, os concorrentes importados têm valores entre R$ 300 e R$ 400. A gerente comercial da Aubicon, Cássia Bretones, afirma que o processo de fabricação é totalmente ecológico. “Leva apenas um dia e não polui a natureza.” Segundo ela, o Play 50 está sendo muito procurado por construtoras e arquitetos, de olho na construção sustentável.

A arquiteta Andréia de Paula optou pelo produto na obra de um espaço lúdico de 2 mil metros quadrados no Colégio Santa Doroteia. “Fiz pesquisas, comparei com outros produtos e escolhemos o Play 50 da Aubicon. É um produto de qualidade, com boa garantia e assistência técnica”, diz.

Áreas públicas de grandes circulação, museus e creches também podem receber o produto, que não se deforma com a colocação de peso sobre ele. As características originais são preservadas. Indicado principalmente para áreas externas, oferece segurança, conforto e é considerado um piso de acessibilidade. Sua colocação é simples, podendo ser instalado sobre berço de pedrisco ou apoiado sobre contrapiso.

A instalação exige uma mão de obra capacitada e é preciso manusear as placas com as mãos limpas, sem dobrá-las, o que às vezes pode ocorrer se o funcionário carregá-la sobre a cabeça. O instalador deve considerar uma caída de 3% a 5% para escoamento das águas pluviais e os ralos não aparentes, para drenagem.

Por se tratar de um material composto de borracha, é aceitável uma variação nas dimensões dos produtos em 1%, devido à sua retração e dilatação. Essa diferença deve ser ajustada no próprio espaçamento que deve ser deixado entre as placas.

Empilhadas

Na aplicação sobre berço de brita zero (pedrisco), o berço deve ser de cinco centímetros de altura depois de realizada a contenção lateral, com a brita nivelada e o solo compactado. Nesse caso, deve-se considerar o acabamento somando a altura do berço (cinco centímetros), altura do produto (cinco centímetros) e 10cm que devem estar abaixo do solo compactado, totalizando 20cm de altura da contenção.

Antes da instalação, é recomendado deixar as placas descansarem em pilhas de cinco peças por dois dias. No caso do contrapiso, esse deve estar limpo e seco com antecedência de quatro dias. Caso a instalação dure mais de um dia, as placas devem ficar em um local coberto.

As placas devem ser instaladas na última fase da obra, depois da jardinagem e da limpeza dos demais pisos. Se possível, delimitar o local para que as pessoas não circulem, atrapalhando os instaladores e/ou danificando o produto.

COMO INSTALAR

Recortes e pinagem

1º passo: seguindo a paginação do local, apoiar a primeira placa sobre a brita ou contrapiso e colocar quatro pinos plásticos nos furos laterais do produto.

2º passo: seguir tal procedimento sempre que houver o encontro de duas placas, respeitando o espaçamento de três a cinco milímetros para que as placas possam movimentar-se, garantindo a estabilidade delas. O assentamento deve ser feito sempre com as placas desalinhadas, para evitar que as pontas se levantem, conforme projeto de paginação.

3º passo: caso necessário, as placas devem ser cortadas com estilete ou serra tico-tico e uma régua metálica. Para fazer a marcação do corte, utilizar giz de cera.

4º passo: na contenção lateral também deve-se considerar o espaçamento de três a cinco milímetros.

5º passo: considerar o espaçamento de três a cinco milímetros caso haja algum objeto chumbado no contrapiso. Serão oito pinos para cada placa (1mx1m).

Fonte: Lugar Certo

Publicado em Sem categoria

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *